IV SEMINÁRIO INTERNACIONAL HISTÓRIA E LÍNGUA: INTERFACES
A linguagem médica no século XVIII corpora e Humanidades Digitais

Decorreu, nos dias 09 e 10 de dezembro, na Universidade de Évora o IV Seminário Internacional História e Língua: Interfaces, dedicado ao tema "A linguagem médica no século XVIII corpora e Humanidades Digitais".

Esta edição do Seminário visou reunir, na Universidade de Évora, a equipa do projeto "Humanidades Digitais e Conhecimento Médico em Língua Portuguesa no Século XVIII: Heranças para o Presente, Terminologias e Funcionamento da Linguagem", aprovado pela CAPES e pelo CNPq, e coordenado pela Professora Maria José Finatto, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brasil). O projeto alia a investigação filológico-linguística da obra de Curvo Semedo, médico português, à Linguística Computacional.
Além dos membros da equipa brasileira e portuguesa, no IV Seminário participaram investigadores de outras universidades portuguesas, assim como de instituições de Espanha (Universidade de Salamanca e Alcalá de Henares) e do México (U. Autónoma de Querétaro), que se associaram ao CIDEHUS na organização deste evento.

 

 

conferência de abertura esteve a cargo de José Pedro Sousa Dias (Universidade de Lisboa/Faculdade de Farmácia), versando sobre o Poder médico e autonomia dos doentes na viragem do século XVII para o XVIII, segundo a ‘Polianteia Medicinal’ de João Curvo Semedo
O segundo dia do Seminário terminou com a conferência “Terminologias médicas do século XVIII em Português: enlaces Portugal-Brasil, heranças de J.C. Semedo”, proferida por Maria José Finatto (PPG-LETRAS-UFRGS – CNPq- Brasil). Houve ainda tempo para o lançamento do livro “Assim nasceu uma língua. Sobre as origens do português” (2019), da autoria de Fernando Venâncio, que foi apresentado por Maria Filomena Gonçalves.

Saiba mais...

 

Publicado em 19.12.2019
Fonte: CIDEHUS